Francisca Jorge termina como vice-campeã do ITF de Montemor-O-Novo

À terceira oportunidade, Francisca Jorge conheceu, pela primeira vez, o sabor da derrota numa final de singulares de torneios internacionais. Campeã das duas provas que disputou em Lousada no final de 2018, a jovem tenista portuguesa era a primeira cabeça de série e procurava adicionar mais um troféu ao palmarés mas acabou derrotada na final de singulares do Montemor Ladies Open, torneio do qual também se despede como vice-campeã de pares.

A disputar a primeira final da temporada na variante individual, a vimaranense de 19 anos reencontrou uma adversária de boas memórias, Alba Carrillo Marin (contra quem venceu o segundo título da carreira, em Lousada), mas desta vez não conseguiu levar a melhor: 6-0, 4-6 e 6-3 foram os parciais que, ao cabo de 2h50, deram o título à espanhola de 23 anos.

Depois de um começo lento, em que não conseguiu contrariar a sétima cabeça de série, Francisca Jorge começou, aos poucos, a reagir e mesmo sob um calor intenso — os termómetros indicaram 35 graus e um real feel a rondar os 40… — encontrou forma de levar a decisão a um terceiro set. Só que aí, Carrillo (que devido ao calor ainda chegou a pedir assistência) voltou a ser melhor e conseguiu resistir a vários jogos decididos nas vantagens para ficar com o título.

Apesar da derrota, Francisca Jorge tem razões para sair satisfeita do torneio português: esta campanha vale-lhe mais seis pontos para o ranking WTA, que apesar de não entrarem no imediato para a conta pessoal serão adicionados a 5 de agosto, quando as classificações “tradicionais” forem restabelecidas depois de um enorme fracasso da Federação Internacional de Ténis.

Última atualização às 14h15.


Total
44
Shares
Total
44
Share