Andre Begemann e Daniel Masur são os campeões de pares do Maia Open

Beatriz Ruivo/Federação Portuguesa de Ténis

MAIA — Uma vez bastou para Andre Begemann e Daniel Masur conhecerem o sabor da glória lado a lado: numa final ao estilo da Taça Davis, os alemães sagraram-se campeões da primeira edição do Maia Open, o torneio que colocou um ponto final no ATP Challenger Tour 2019.

Habituados a ganhar no match tie-break, Begemann e Masur somaram pela primeira vez uma vitória em parciais diretos e logo frente a uma das duplas mais perigosas: os espanhóis Guillermo Garcia-Lopez e David Vega Hernandez (por 7-6[2] e 6-4), que em sentido contrário tinham alcançado o duelo decisivo com três triunfos em parciais diretos.

Para Andre Masur, o título conquistado no Maia Open traduz-se no 25.º de um currículo que curiosamente começou a ganhar forma ao lado de um português: foi em novembro de 2009 que o alemão disputou e venceu a primeira decisão de pares no circuito, ao lado de Leonardo Tavares. Desde aí, seguiram-se mais 24 títulos e 14 vice-campeonatos, que junta aos dois títulos de finalista na variante de singulares.

O tenista germânico de 35 anos (que chegou a ser o 36.º do ranking da variante em 2015) conta ainda com 10 finais disputadas no ATP Tour, das quais venceu 4: em Viena 2012, Dusseldorf 2013 e Halle e Gstaad em 2014.

O currículo de Daniel Masur — que é 10 anos mais novo — ainda não impressiona tanto mas também já começa a ganhar forma: esta foi a quarta final que disputou e a quarta que venceu.

A edição inaugural do Maia Open conclui-se no domingo com a final de singulares, que vai ser disputada entre Jozef Kovalik e Constant Lestienne a partir das 11 horas e terá transmissão em direto na Sport TV 3.


Total
2
Shares
Total
2
Share