Paige Hourigan: da derrota no qualifying em Palmela ao título no Seixal “foi só um saltinho”

De um lado para o outro sem parar e com um sabor agridoce. Assim se pode descrever o dia de Paige Hourigan, que de manhã foi derrotada na segunda ronda do qualifying da Olevra Cup, em Palmela, por Inês Murta, e esta tarde sagrou-se campeã de singulares da primeira edição do Seixal Ladies Open.

Numa final que contemplava duas tenistas fora do lote das pré-designadas mas que atingiram o encontro decisivo com muito mérito (ambas eliminaram cabeças de série, sendo que Hourigan até afastou três delas de forma consecutiva rumo à decisão), foi a jovem neozelandesa de 21 anos, oriunda da fase de qualificação e número 872 mundial, a impor-se perante Valeria Bhunu (791.ª), do Zimbabué e carrasca de Murta na segunda ronda no Seixal, pelos parciais de 6-4 e 6-3, para culminar de forma vitoriosa uma jornada dupla desgastante mas decerto saborosa.

Para Hourigan, o título na prova de 15.000 dólares que decorreu nos campos de piso rápido do Clube Recreativo e Desportivo Brasileiro Rouxinol coincide precisamente com o primeiro da sua carreira na variante individual (já havia vencido um torneio de pares em Antália, em 2016) e deverá permitir-lhe, naturalmente, uma subida considerável na atualização de rankings de amanhã a oito dias, atingindo assim um novo pico pessoal.


Total
2
Shares
Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.


Total
2
Share