Thiago Monteiro cumpre desejo e celebra em português no Braga Open

BRAGA – O brasileiro Thiago Monteiro, 90º do ranking ATP, é o terceiro campeão do Braga Open, sucedendo aos portugueses Pedro Sousa e João Domingues. Na final deste domingo, ultrapassou o sérvio Nikola Milojevic (148.º) por duplo 7-5 para conquistar o sexto título Challenger da carreira e primeiro desde Janeiro de 2020.

Num Clube de Ténis de Braga muito bem vestido de público e com imensos canarinhos presentes, Thiago Monteiro bebeu a energia dos presentes para cavar logo um fosse de 4-0, cobrindo todo o court com a sua pesada direita e colocando o sérvio de 26 anos a correr de um lado ao lado. A partir daí, Milojevic – que no último torneio disputado tinha também feito final, em Banja Luka, na Bósnia – subiu os índices de agressividade e apostou nas paralelas e na esquerda cruzada para tirar o brasileiro de 27 anos dos seus padrões habituais e dos locais onde prefere bater a direita.

De 4-0 em pouco mais de 20 minutos, passámos para 5-5, com Milojevic a recuperar os dois breaks em atraso. Para isso, foi fundamental o sexto jogo de mais de 20 minutos, com inúmeras vantagens para ambos os tenistas e com o mais novo a prevalecer ao sexto break point. No entanto, após a igualdade, Monteiro voltou a adiantar-se, muito devido às suas respostas com muito top spin. A servir para fechar um set de grande qualidade, o antigo 74 do mundo ainda salvou duas oportunidades para quebra de serviço, mas saiu na frente da final.

No segundo parcial houve maior equilibro, com ambos a garantir os respetivos golpes de saída, ainda que tenha sido o brasileiro o mais próximo da vantagem, que acabou por surgir ao nono jogo. Só que Milojevic é conhecido pela sua combatividade (na segunda ronda salvou seis match points para bater Santiago Fa Rodriguez Taverna), e devolveu ‘a graça’, indo buscar o break novamente com um smash. De novo a 5-5, Monteiro subiu o nível e foi buscar a quebra de serviço em branco. A servir para fechar o duelo, ainda salvou um break point (com um smash) e celebrou o título efusivamente, mostrando o que o triunfo significou para si.

Foi uma final muito bem disputada e resolvida em 2h31. Depois dos portugueses Pedro Sousa e João Domingues, voltou a ouvir-se um discurso de vitória em português em Braga.

Este é o sexto troféu Challenger para Thiago Monteiro e primeiro desde há quase dois anos, naquela que foi a sua nona final e primeira desde há precisamente um ano. A competir pela primeira vez em Portugal, Thiago Monteiro não vai poder celebrar muito tempo: está inscrito no torneio do CIF, onde será de novo o principal favorito ao título.


Total
12
Shares
Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.


Total
12
Share