Karatsev atinge mais uma final e mantém “Masters” no pensamento

Aslan Karatsev começou 2021 como um perfeito desconhecido para a maioria dos adeptos, mas a campanha-revelação que o tenista russo desenhou no Australian Open depressa o catapultou para os grandes palcos e, agora que lhe tomou o gosto, não quer outra coisa: campeºao no ATP 500 do Dubai e vice-campeão no ATP 250 de Belgrado, o número 22 mundial qualificou-se este sábado para a terceira final do ano — sétima se contabilizadas as várias variantes.

A jogar em casa, o tenista russo de 28 anos derrotou o compatriota Karen Khachanov por 7-6(7) e 6-1 para garantir um lugar na final do ATP 250 de Moscovo e assim prolongou as hipóteses de qualificação para o Nitto ATP Finals.

Atualmente na 13.ª posição da “Corrida a Turim” (12.ª se considerada a desistência de Rafael Nadal, que não voltará a competir antes de 2022), o tenista-sensação de 2021 está a colocou-se a 775 pontos de Hubert Hurkacz, polaco que ocupa o último lugar de apuramento, e com um título em Moscovo ficará a apenas 675 pontos.

No entanto, tal como Karatsev também Jannik Sinner está na luta por pontos e posições que lhe permitam marcar presença no “Masters”, que será disputado no seu país, e também o italiano selou a passagem a uma final ATP este sábado, mas em Antuérpia.

Para além das referidas finais em singulares, Aslan Karatsev também foi campeão em Doha ao lado de Andrey Rublev e vice-campeão do ATP Masters 1000 de Indian Wells com o mesmo parceiro no último fim de semana — facto que torna ainda mais impressionante a rápida adaptação e respetivo sucesso em Moscovo, a 9775km de distância –, para além de ter conquistado a ATP Cup com a Rússia e de ter disputado as finais de pares mistos em Roland-Garros e nos Jogos Olímpicos com Elena Vesnina.

Na final de domingo, o grande favorito do público terá de duelar com um dos “pesos pesados” do circuito masculino: o croata Marin Cilic, que superou Ricardas Berankis por 6-3 e 6-4 para confirmar o estatuto de sexto cabeça de série e colocar-se a um passo de conquistar um terceiro título em Moscovo, depois de vencer as finais de 2014 e 2015 (ambas contra Roberto Bautista Agut). O ex-campeão do US Open e finalista do Australian Open e de Wimbledon persegue o 20.º título da carreira e segundo do ano (interrompeu uma “seca” de três anos ao vencer na relva de Estugarda).

Total
12
Shares
Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Total
12
Share