Cerúndolo qualifica-se para o Next Gen Finals e estreia-se em piso rápido em 2021

Juan Manuel Cerúndolo explodiu para o estrelato quando conquistou o ATP 250 de Córdoba como número 335 do ranking mundial e depois aproveitou o embalo para conquistar três torneios Challenger e estrear-se no top 100, tornando-se numa das grandes revelações da temporada de 2021. E esta segunda-feira foi recompensado com o apuramento para o Next Gen ATP Finals, o evento de exibição que reúne os melhores jovens de sub 21 da atualidade — mesmo que, como é o caso do tenista argentino, não tenham realizado um único encontro em piso rápido nos últimos 10 meses.

Com 51 vitórias nos 73 encontros realizados ao longo do ano, Cerúndolo dividiu o seu raio de ação por 27 torneios. Desses, 26 aconteceram em terra batida — Wimbledon foi a exceção. E foi sobre o pó de tijolo que o argentino registou os 51 triunfos.

Os números apresentados de nada servem senão para expor o ADN tipicamente sul-americano de Juan Manuel Cerúndolo, que entre as gírias de torneios ATP e Challengers na América do Sul também aproveitou a vasta oferta de torneios europeus em terra batida para somar pontos e continuar a dar toques especiais à sua temporada de afirmação entre a elite do ténis.

O Next Gen ATP Finals, organizado entre os dias 9 e 13 de novembro em Itália, será o primeiro torneio em piso rápido para Juan Manuel Cerúndolo desde a sua mais recente passagem por Portugal, quando foi travado na segunda ronda do ITF de 15.000 dólares de Setúbal, em outubro de 2020. E será apenas o quinto evento nesta superfície em toda a sua carreira como profissional.

Um elenco de luxo

Apesar da qualificação de Juan Manuel Cerúndolo se ter dado com a desistência de Félix Auger-Aliassime, que ainda está na luta pelo inédito apuramento para o Nitto ATP Finals e há imagem de anos anteriores optou por não competir com os mais jovens, o elenco do Next Gen ATP Finals será de luxo.

As restantes seis vagas já definidas (há uma por atribuir) pertencem a Jannik Sinner — que neste momento ocupa um dos dois últimos lugares de qualificação para o “Masters” e provavelmente acabará por desistir desta “corrida” —, Carlos Alcaraz, Sebastian Korda, Jenson Brooksby, Lorenzo Musetti e Brandon Nakashima, norte-americano que no domingo conquistou o Challenger de Brest, em França, com uma vitória sobre João Sousa.

Total
16
Shares
Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Total
16
Share