Sorteio de Roland-Garros obriga Sousa e Borges a esperar; Djokovic, Nadal, Alcaraz e Zverev em metade “de loucos”

João Sousa (o único português com entrada direta) e Nuno Borges (que passou o qualifying) terão de esperar até sexta-feira para conhecerem os primeiros adversários no quadro principal de Roland-Garros, que apesar de ter sido sorteado esta quinta-feira só ficará completo com a conclusão da fase de qualificação. Novak Djokovic, Rafael Nadal e Carlos Alcaraz, que chegam a Paris como os três maiores candidatos ao título, estão todos na metade superior do quadro, bem como Alexander Zverev. Na inferior sobra Stefanos Tsitsipas, que tem razões para respirar de alívio.

Por Gaspar Ribeiro Lança, em Paris

Realizado esta quinta-feira na l’Orangerie, a poucos metros do mais recente court do Stade Roland-Garros (o Court Simonne Mathieu), o sorteio colocou João Sousa na linha 69, já na metade inferior.

A participar pela 10.ª vez no quadro principal (um recorde para o ténis nacional), o vimaranense foi o único português a obter entrada direta no torneio do Grand Slam parisiense e vai defrontar um qualifier. Se vencer, discutirá a segunda ronda ou com o alemão Peter Gojowczyk, ou com o italiano Lorenzo Sonego (32.º cabeça de série). Esta é a mesma secção do quadro de Casper Ruud, oitavo favorito que arranca frente a Jo-Wilfried Tsonga naquela que será a “última dança” do tenista gaulês.

Se João Sousa tem de esperar para saber qual dos qualifiers terá pela frente, Nuno Borges tem de aguardar para saber em que linha será colocado.

O jovem maiato de 25 anos viveu uma semana de sonho que lhe garantiu o apuramento para o quadro principal naquela que é a primeira participação em torneios do Grand Slam como profissional e se o compatriota é um dos possíveis adversários, o mesmo se pode dizer do espanhol Carlos Alcaraz, campeão dos ATP Masters 1000 de Miami e Madrid e dos ATP 500 do Rio de Janeiro e Barcelona.

No panorama geral, a grande história prende-se com os protagonistas sorteados na primeira metade do quadro: Djokovic (campeão em título), Nadal (recordista de troféus de campeão, com 13) e Alcaraz são considerados os principais candidatos à vitória e estão na mesma metade, sendo que o sérvio e o mais velho dos espanhóis podem mesmo medir forças nos quartos de final, tal como aconteceu em 2015.

Nesta parte do quadro estão ainda Alexander Zverev, que é o terceiro cabeça de série, Stan Wawrinka (campeão em 2015) e Dominic Thiem (finalista em 2018 e 2019), enquanto Stefanos Tsitsipas, quarto, é o grande favorito na metade inferior do quadro.

Vice-campeão em 2021, o grego ficou longe dos seus maiores rivais (perdeu a final de há um ano para Djokovic depois de liderar por dois sets a zero) e é visto como o grande favorito a sobressair desta parte do quadro em que também estão o número dois mundial, Daniil Medvedev, o também russo Andrey Rublev e Casper Ruud.


Total
2
Shares
Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.


Total
2
Share