Campeão em título enfrenta novo membro do top 100 na final do Porto Open

Altug Celikbilek e Christopher O’Connell são os finalistas da edição de 2022 do Porto Open. O turco derrotou o cabeça de série para ficar a um passo de defender o título conquistado há um ano, enquanto o australiano assegurou a entrada no top 100 mundial pela primeira vez na carreira.

No primeiro encontro do dia, Celikbilek não olhou a favoritismos e superou o primeiro cabeça de série, o australiano James Duckworth (74.º classificado no ranking) em duas partidas, por 7-6(5) e 6-4.

Com esta vitória, o tenista turco de 25 anos qualificou-se para a final de um torneio do ATP Challenger Tour pela quarta vez na carreira (todas desde março de 2021), sempre em piso rapido.

Detentor de dois troféus (depois de vencer no Porto também foi bem sucedido em Pozoblanco, Espanha), Altug Celikbilek colocou-se a um passo de voltar a inscrever o nome na galeria de campeões da prova da invicta, mas para isso terá de superar outro australiano.

Christopher O’Connell salvou os quatro pontos de break que enfrentou a caminho de uma vitória por 6-3 e 6-3 sobre o japonês Yoshihito Nishioka (101.º ATP e segundo cabeça de série) que não só lhe permitiu chegar pela sétima vez à final de singulares de um torneio do circuito secundário como, ainda mais relevante, garantir a tão ambicionada estreia no top 100 mundial.

O’Connell ocupa o 108.º lugar no ranking (uma classificação que esta semana lhe vale o estatuto de terceiro pré-designado) e a presença na final do Porto Open já assegurou a sua ascensão ao 100.º lugar da tabela classificativa, sendo que com o título chegaria à 94.ª posição.

O australiano de 28 anos é mais experiente em finais do ATP Challenger Tour (três ganhas, três perdidas) e até já levantou um troféu esta época, no torneio de Split, em terra batida.

A decisão de singulares do Porto Open 2022 entre Altug Celikbilek e Christopher O’Connell está marcada para domingo, mas ainda este sábado o torneio pode consagrar os primeiros campeões portugueses desde que, em 2021, passou a integrar o calendário do circuito Challenger: Nuno Borges e Francisco Cabral vão discutir o título de pares com os indianos Yuki Bhambri e Saketh Myneni, uma final marcada para as 16 horas e que coloca frente a frente os primeiros e os segundos cabeças de série.

Total
2
Shares
Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Total
2
Share