Portugal celebra oito vitórias no início do Campeonato do Mundo Individual de Veteranos

Francisco Melim/Federação Portuguesa de Ténis

A comitiva portuguesa, composta por 49 jogadores, celebrou este sábado as primeiras vitórias no Campeonato do Mundo Individual de Veteranos, torneio que a Federação Portuguesa de Ténis e a Federação Internacional de Ténis organizam um dia depois de terem concluído com sucesso o Mundial de Equipas.

Os primeiros triunfos foram assinados no quadro de singulares masculinos de +45, com Marcos Santos a derrotar o irlandês David King (2-6, 6-4 e 6-1), Nuno Ribeiro a vencer o britânico Nick Bond (6-1 e 6-2) e Luís Sousa Pinto a triunfar perante o britânico Hafeez Hameed (6-2 e 6-2), que defendia o estatuto de 18.º cabeça de série.

As estreias com notas positivas apuraram o trio luso para a segunda ronda de um quadro com 128 jogadores, no qual Guilherme Caldeira, Frederico Fauvelet, Pedro Vitorino, Vasco Graça, Nuno Delfino, João Marques e Francisco Leitão não conseguiram seguir em frente.

Depois, Bento Queiroz tornou-se no primeiro português a seguir em frente no quadro masculino de +35, com uma vitória categórica (6-3 e 6-0) perante o britânico Joe Cooper.

Esta competição tem como primeiro cabeça de série Fred Gil, vice-campeão mundial em 2021 que devido a esse estatuto ficou isento da primeira eliminatória e só irá a jogo no domingo.

Mas houve mais representantes nacionais em ação: Miguel Bastos, Martim Ramos e Hugo Matos foram travados na eliminatória inaugural, cenário semelhante ao de Pedro Semião, Hugo Amaral, Luís André Pinho e Eduardo Pais no quadro masculino de +40.

A parte da tarde foi dedicada à variante de pares mistos, na qual houve quatro vitórias com protagonistas portugueses.

No escalão de +35, Rita Freitas e Fred Gil fizeram jus ao estatuto de primeiros cabeças de série e levaram a melhor sobre a neerlandesa Regina Balcune e o brasileiro Felipe Souza, por 6-0 e 6-3, para carimbarem o apuramento para os quartos de final.

No mesmo escalão, Miguel Bastos e a hungara Edina Kertesi perderam por 6-0 e 6-1 com os sul-africanos Alexandra Dreyer e Leonard Perry.

O quadro de +45 foi aquele que originou mais vitórias portuguesas: Sofia Prazeres e Luís Sousa Pinto aplicaram os parciais de 6-4 e 6-4 à australiana Angela Lawrence-Hendy e o norte-americano Ryan Pang, nonos cabeças de série; Paula Martins e Pedro Vitorino triunfaram por 6-4 e 6-2 contra os brasileiros Francine Sant Anna e Lucas Clemente Diaz; e João Freitas venceu por 4-6, 6-2 e 12-10 ao lado da mexicana Sara Raquel Montemayor, contra Inga Kai Polonsi e Markko Sojonen, da Estónia. As duplas compostas por Sandra Valente/Vasco Graça, Dominika Gorecka/Guilherme Caldeira, Isabel Pinto/Nuno Delfino, Célia Sá/Frederico Fauvelet não conseguiram seguir em frente.


Total
2
Shares
Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.


Total
2
Share