Iga Swiatek volta a guardar o melhor para o fim e vence o US Open pela primeira vez

Iga Swiatek chegou à final do US Open sem jogar o ténis que fez dela número um mundial, mas quando mais importou contou com todas as armas que a distinguem da concorrência e superou Ons Jabeur. Quase sempre com uma facilidade que assusta, a polaca tornou-se na nova campeã do quarto Grand Slam do calendário.

Longe de impressionar nos seis primeiros encontros na Big Apple, a Iga Swiatek que foi a jogo na final deste sábado foi a antítese da jogadora que se apresentou ao longo das últimas duas semanas, mas um espelho do que tem mostrado em 2022: a melhor versão da polaca vem sempre ao de cima em finais, como uma vez mais comprovam os parciais de 6-2 e 7-6(5) perante uma adversária que é, também ela, de calibre mundial.

São 10 títulos nas últimas 10 finais disputadas (sete este ano) e 20 sets ganhos em 20 possíveis.

Desde 2016 que uma mulher (Angelique Kerber) não ganhava dois títulos do Grand Slam numa só época. E Iga Swiatek tornou-se apenas na segunda mulher desde o começo da Era Open, em 1968, a vencer os primeiros seis sets que disputou em finais de torneios do Grand Slam, igualando o feito de Lindsay Davenport.

A final deste sábado foi o quinto encontro da história entre Swiatek e Jabeur ao mais alto nível (entraram no Artur Ashe Stadium com duas vitórias cada) e apesar de se ter prolongado por 1h51 esteve encaminhado para um final mais precoce.

Tal como nas seis finais anteriores que venceu este ano (em Doha, Indian Wells, Miami, Estugarda, Roma e Roland-Garros)), a polaca começou em modo “rolo compressor”. Intragável no serviço (fechou a primeira partida com 90% de primeiras bolas) e na resposta (não falhou nenhuma das 32 primeiras do duelo), Swiatek foi a melhor jogadora durante os primeiros 11 jogos e chegou a liderar por 6-2 e 3-0.

Até que, numa altura em que a final já parecia resolvida, Jabeur conseguiu equilibrar o encontro — ainda que as estatísticas comprovem que o número de erros não forçados subiu exponencialmente de parte a parte — e até se tornou na jogadora com melhor prestação frente a Swiatek numa decisão desde 2020.

Quando o ranking for atualizado, na segunda-feira, Iga Swiatek terá mais do dobro dos pontos (10.365) em relação à segunda classificada, Ons Jabeur (5.090). E também mais pontos do que a tunisina e a terceira classificada, Anett Kontaveit, em conjunto (9.390).

Última atualização às 23h29.


Total
6
Shares
Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.


Total
6
Share