Frederico Silva “muito satisfeito” por dar a volta a “encontro com muitas emoções” em Roland-Garros

Frederico Silva celebrou a terceira vitória da carreira no Stade Roland Garros e deu o primeiro de três passos necessários para chegar pela primeira vez ao quadro principal do segundo torneio do Grand Slam da temporada. Mas precisou de trabalhar para isso, ao recuperar de dois match points na segunda partida para consumar uma reviravolta, e no final explicou que ultrapassou um encontro com muitas emoções.

“Foi uma boa vitória. Independentemente de tudo estou bastante satisfeito por ter conseguido ‘sacar’ a vitória depois de um encontro bastante longo quer físicamente, quer a nível mental. Houve muitas emoções durante o encontro e não entrei bem, estava mais tenso e nervoso. Sabia que podia ser normal por estar a jogar um torneio como este, que tem sempre uma importância diferente, e também porque os últimos resultados não têm sido os melhores, mas tentei abstrair-me ao máximo de tudo isso e focar-me no meu nível”, explicou ao Raquetc após superar Lorenzo Giustino (248.º) por 6-7 (6), 7-6 (5) e 6-1.

“Comecei a melhorar quando estava a perder por 5-2 no primeiro set e ainda o obriguei a ir a tie-break. Acabei por perdê-lo, mas senti que estava a crescer e que podia dar a volta ao encontro. Depois venci o segundo set também no tie-break e no terceiro ele foi-se um pouco abaixo e eu aproveitei isso, fui competente e acabei por simplificar”, acrescentou o jogador das Caldas da Rainha.

Para seguir em frente, Frederico Silva teve mesmo de anular dois match points quando serviu a 5-6 na segunda partida, mas também de recuperar de um mini-break de atraso (3-4*) no ‘tira-teimas’ que se seguiu: “Foram obviamente dois momentos-chave. Ele teve a oportunidade de fechar o encontro, mas eu joguei bem e obriguei-o a ir ao tie-break, onde me mantive confiante de que podia ir buscar a vitória. Estou muito satisfeito por me ter conseguido manter com tranquilidade para o obrigar a jogar bem nesses momentos e felizmente consegui ganhar esses pontos. É uma reviravolta que me dá confiança para os próximos encontros.”

Ultrapassado o primeiro desafio em Paris, o atual número dois nacional terá um ‘dia de folga’ antes de regressar ao campo para medir forças com belga Zizou Bergs (131.º). “Não o conheço muito bem, mas sei que joga um ténis muito bom e dizem que tem claramente nível para estar no top 100, por isso estou à espera de um encontro muito difícil. Espero recuperar bem entre hoje e amanhã para na quarta-feira fazer um bom encontro”, completou o jogador que está acompanhado pelo treinador Filipe Rebelo nesta terceira passagem por Roland-Garros (terceira ronda do qualifying em 2020, primeira em 2021).

Total
0
Shares
1 comentário
Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Total
0
Share