Indian Wells sinónimo de meia centena para João Sousa

Beatriz Ruivo/FPT

932 dias depois de se ter disputado o último encontro no deserto californiano, o ATP Masters 1000 de Indian Wells (que também é um WTA 1000) regressou com uma alegria para João Sousa: o número dois português e 182.º classificado no ranking ATP ultrapassou as duas rondas da fase de qualificação e garantiu um lugar entre a elite no torneio norte-americano.

Ao fazê-lo, o tenista natural de Guimarães carimbou a 50.ª presença da carreira em quadros principais de torneios deste nível, alcançando mais uma marca histórica para o ténis português, três semanas depois de ter registado a 200.ª vitória ao mais alto nível (apenas entre quadros principais de torneios ATP, Grand Slams e Taça Davis).

E assim, com vitórias sobre Victor Lilov (2002.º ATP) e Altug Celikbilek (168.º), João Sousa escreveu mais uma página histórica no Indian Wells Tennis Garden, precisamente o palco onde em 2013 se estreou em eventos desta categoria (foi derrotado na primeira ronda do qualifying) e no qual um ano mais tarde carimbou a primeira vitória da carreira em quadros principais — 6-4 e 6-1 sobre o então 79.º classificado Aleksandr Nedovyesov.

Mais tarde, em 2018, foi também em Indian Wells que o melhor tenista português da história registou uma das suas melhores vitórias, ao superar Alexander Zverev (número 5) por 7-5, 5-7 e 6-4 rumo à terceira ronda.


Total
40
Shares
Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.


Total
40
Share