Depois das 1.000 vitórias, o título: Djokovic completa semana perfeita no Masters 1000 de Roma

No sábado a 1.000.ª vitória da carreira, no domingo o 38.º título em ATP Masters 1000: Novak Djokovic já tinha dado indícios de estar de volta à sua melhor forma e confirmou-o com uma semana perfeita em Roma, ao derrotar Stefanos Tsitsipas por 6-0 e 7-6(5) para conquistar o primeiro troféu de campeão da temporada — já tinha sido finalista no “seu” ATP 250 de Belgrado — e reforçar o estatuto de candidato à vitória em Roland-Garros.

Aos 34 anos, 11 meses e 23 dias, o número um mundial tornou-se no campeão mais velho dos 79 anos de história do Internazionali BNL d’Italia, no qual disputou pela 12.ª vez a final e conquistou pela sexta ocasião o troféu mais desejado.

A final foi decidida em 1h36 e começou de forma apática: em muito boa forma na temporada de terra batida (campeão em Monte-Carlo, quartofinalista em Barcelona e semifinalista em Madrid antes de chegar à cidade eterna), Tsitsipas demorou a replicar algum do ténis que faz dele uma das maiores ameaças no pó de tijolo, de tal forma que durante toda a primeira partida não teve reação para o começo autoritário de Djokovic.

Só ao fim de 35 minutos é que o jovem grego, a competir pela primeira vez na final do torneio e quinta em provas desta categoria, conseguiu dar um ar de sua graça. E fê-lo de forma categórica, ao deixar para trás o péssimo arranque de encontro para agarrar rapidamente uma liderança de 5-2 que parecia garantir-lhe a conquista do segundo parcial.

Com uma subida acentuada da qualidade de bola do fundo do campo, em especial com uma pancada de direita mais pesada e uma esquerda batida bem dentro do court para fazer Djokovic correr, Tsitsipas fez tudo bem até ao momento em que serviu para fechar a partida. A partir daí, o grego tremeu, acusou a ocasião e desceu o nível, abrindo ao sérvio a janela de oportunidade de que precisava para recuperar e construir a mini-reviravolta que culminou na vitória no tie-break.

O triunfo em dois sets permitiu a Novak Djokovic conquistar o Internazionali BNL d’Italia sem ceder qualquer partida pela primeira vez na carreira e aumentou o recorde do tenista de Belgrado em torneios desta dimensão: são já 38 troféus de campeão em ATP Masters 1000, mais dois do que Rafael Nadal e mais 10 do que Roger Federer.

Ao todo, Djokovic já soma 87 títulos (à sua frente tem Nadal com 91, Ivan Lendl com 94, Federer com 103 e Jimmy Connors com 109) e 1.001 vitórias. E o título conquistado este domingo coloca-o diretamente no lote de principais candidatos ao título em Roland-Garros, onde há um ano conquistou o título com uma vitória sobre… Stefanos Tsitsipas.


Total
54
Shares
Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.


Total
54
Share