Contente, mas não satisfeita, Francisca Jorge tem os olhos postos na final no The Campus

QUINTA DO LAGOFrancisca Jorge celebrou pela terceira vez consecutiva em singulares nos courts de piso rápido do The Campus, na Quinta do Lago, e apurou-se para as meias-finais do torneio internacional de 25.000 dólares que acontece pela primeira vez no complexo multidesportivo algarvio. No final, destacou a conquista do primeiro set e a mudança de mindset como fatores decisivos para deixar pelo caminho uma adversária mais cotada.

“Foi um encontro bastante sofrido desde o início”, considerou sobre o choque com a francesa Tessah Andrianjafitrimo (230.ª), quarta cabeça de série. “Ela é muito competente e agressiva e não dá muitos pontos de borla. Eu reagi bem à bola nova no início, mas depois ela conseguiu tirar proveito do facto de eu não estar a fazer tanta mossa no jogo dela e tirou determinação às minhas pancadas. As minhas bolas não estavam a ‘furar’ como eu queria, não estava a conseguir entrar no campo determinada e subir à rede para fechar os pontos. Quando percebi que tinha de jogar uma, duas, três bolas e esperar pela oportunidade certa para entrar no campo fiquei mais tranquila e fui bem-sucedida.”

Destacando que a inversão do 3-5 no marcador do primeiro set a fez “acreditar que podia cair para o meu lado”, Francisca Jorge referiu a “melhor postura corporal” do segundo set como um dos aspetos que lhe permitiram sair disparada no resultado após uma pausa para ir ao balneário. “O primeiro set foi uma mistura de emoções. Quando acabou fui à casa de banho, respirei e aliviei o stress para voltar pronta para a luta. Passar para a frente deu-me muita confiança e a partir daí o jogo foi completamente diferente porque consegui mostrar que estava por cima”

A separá-la da final neste The Campus Ladies Open, que seria a segunda do ano e a oitava da carreira em torneios internacionais de singulares, a melhor tenista portuguesa da atualidade terá a espanhola Jessica Bouzas Maneiro, número 268 mundial que chegou ao Algarve com o troféu de campeã do ITF de Sibenik (na Croácia) na bagagem.

“Temo-nos cruzado em vários torneios, por isso sei que é uma adversária agressiva e que procura entrar no campo para obrigar a outra a mexer-se. Sinto que está um pouco cansada porque teve uma semana comprida e hoje venceu em três sets. Estamos ambas a jogar bem, mas estou confiante de que posso conseguir a vitória. Vai passar muito por ver quem consegue impôr o seu jogo”, finalizou Francisca Jorge, que depois da vitória em singulares ainda regressou ao campo para carimbar o apuramento para a final de pares ao lado da irmã, Matilde Jorge.

Total
2
Shares
Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Total
2
Share