Com entrada autoritária na Maia, Luca Van Assche continua a ser feliz em Portugal

MAIA — Foi em solo português que Luca Van Assche disputou pela primeira vez uma final no ATP Challenger Tour (terminou como vice-campeão do Del Monte Lisboa Belém Open) e, dois meses depois, o francês voltou a ser feliz na estreia num torneio luso, ao carimbar o apuramento para a segunda ronda do Maia Open.

Fora da lista de cabeças de série apesar de ocupar o 176.º lugar no ranking, o jovem de 18 anos realizou uma exibição de alto calibre e afastou um dos candidatos ao título, o sueco Elias Ymer (129.º e terceiro pré-designado), de forma categórica: 6-2 e 6-1 foram os parciais de um triunfo assinado em 1h09.

Apesar da baixa percentagem de primeiros serviços (53%), Van Assche não só não enfrentou qualquer ponto de break, como apenas numa ocasião (quando serviu a 2-1 da segunda partida) cedeu mais do que um ponto num jogo de serviço.

A exibição autoritária permitiu à promessa gaulesa — entretanto já três vezes finalista de torneios Challenger, a mais recente na semana passada, em Valência — adicionar o nome à segunda ronda do quadro principal de singulares do Maia Open. Segue-se o sempre imprevisível Alexandar Lazarov (303.º), búlgaro dotado de uma facilidade acima da média, mas também pela instabilidade psicológica.

Também esta quarta-feira, o britânico Jan Choinski (268.º) estreou-se com uma vitória por 6-0 e 6-4 frente ao alternate ucraniano Vitaliy Sachko e seguiu para a segunda ronda, a mesma fase na qual os portugueses Nuno Borges e Pedro Sousa medirão forças.

Já em encontro da segunda eliminatória, o russo Ivan Gakhov (257.º) beneficiou da desistência do argentino Andrea Collarini após empatar o duelo (4-6, 7-5) e ainda recebeu.

Total
8
Shares
Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Total
8
Share